14° Jantar Italiano celebra a cultura e a culinária italiana

Nos dias 04, 05 e 06 de novembro de 2022, o Centro Mariápolis Ginetta recebeu famílias e amigos da comunidade Mariápolis Ginetta para a 14ª edição do Jantar Italiano em seu centro de eventos. O evento, que celebra a cultura e a culinária italiana, recebeu também figuras importantes relacionada ao Movimento dos Focolares e representantes de outros movimentos e instituições.


Confira na postagem abaixo todos os detalhes deste tão aguardado evento.


Fonte: divulgação/Mariápolis Ginetta


Ronaldo Marques, corresponsável da Mariápolis Ginetta dizia justamente algo nestas linhas sobre o evento: "O jantar é uma ocasião para criar o espírito de fraternidade, porque tudo se gera a partir desta comunidade. Também a presença da providência foi muito forte este ano. É importante sublinhar que é um evento organizado e realizado inteiramente pela comunidade da Mariápolis, desde adolescentes e jovens a adultos e pessoas mais maduras: estavam todos envolvidos nas várias equipes de apoio do Jantar Italiano. E é esta realidade que acolhe os participantes.


Foi muito bom estar aqui para receber a cada um. Parece-me que cumprimos nossa missão também este ano, com aspectos que podem ser melhorados, sem dúvidas, mas já nos damos conta dos frutos gerados pelo evento. Um enorme obrigado a todos”!


Ronaldo comentava ainda sobre os fundos arrecadados por meio do evento, que serão revertidos para a manutenção e melhoria de projetos importantes da Mariápolis, seja dos projetos sociais, da Igreja de Jesus Eucaristia, do Parque da Mariápolis e também para apoiar as novas gerações nas suas necessidades em vista de suas atividades futuras.


Ronaldo Marques, Adriana Valle e Zeliana Grangeiro - da comissão organizadora do 14° Jantar Italiano


Os muitos reencontros que se deram durante o jantar e almoço Italiano trouxeram muitas lembranças, estabeleceram e fortaleceram vínculos de amizade, de unidade.


Adriana Valle, profissional da área de panificação, que se dedica há anos à frente da panificadora Espiga Dourada nos deixou o seu depoimento sobre estes dias, em que esteve trabalhando com afinco com sua equipe na cozinha para servir os mais de 730 participantes do 14° Jantar Italiano. “Trabalho para o Jantar Italiano desde a primeira edição há 14 anos. Na época era uma atividade muito simples entre amigos.... Então esta décima quarta edição é emocionante para mim.


Gostaria de trazer uma breve comparação. Existem os encontros chamados Mariápolis, certo? Encontros onde as pessoas vêm para se nutrir de maneira espiritual. Hoje consideraria este evento como uma “Mariápolis moderna”, onde as pessoas vêm para construir relacionamentos, fortalecer-se em um ambiente familiar, com valores positivos. As pessoas ficam contentes e agradecidas pela experiência da culinária italiana sim, pela preparação e organização, mas sobretudo pela atmosfera familiar que experimentam aqui.


Sabe-se que o mundo pós pandemia sente as lacunas relacionais, de valores, etc.... e nós sentimos que devemos continuar a proporcionar momentos como este para acolher as pessoas, para nos fortalecermos juntos”.


Desta vez, uma das características particulares do Jantar foi o fato do evento estar todo imbuído das celebrações dos 50 anos de fundação da Mariápolis Ginetta. Aproveitando da ocasião que reuniu na sexta-feira 04/11, foram homenageadas 10 pessoas que representaram na primeira noite do evento, uma variedade de pessoas que passaram pela Mariápolis, que colaboraram, que se doaram generosamente em mil maneiras, que construíram esta cidade nestes 50 anos.



Entre estas pessoas, três homenagens póstumas a 3 grandes amigos, colaboradores muito próximos da Mariápolis, eternamente presentes em nossos pensamentos e corações: Aparecida Donizetti do Carmo Borba, João Carlos Pompermayer e Francesco Paulo Lo Schiavo.


A seguir, apresentamos alguns depoimentos das pessoas homenageadas no 14° Jantar Italiano e que puderam estar presente na ocasião.


Dr. Abrahão Miranda da Silva nos contou em entrevista que conheceu o Movimento dos Focolares há aproximadamente 40 anos. Também sua esposa Lourdes e seus filhos conheceram e apreciam o Movimento. Dr. Abrahão continua: "O Movimento é muito enriquecedor, eu acho que só tem a ganhar, espiritualmente, socialmente, moralmente quem participa e conhece o Movimento dos Focolares. Quem foi meu esteio em tudo, foi a Lourdes, minha esposa. Nada eu fiz, sem a colaboração da Lourdes. Vamos em frente, por mais 50 anos"!


Maria Tereza Batista de Lima, proprietária da Editora Brasiliense comenta que se o Movimento não tivesse surgido na sua vida, teria uma outra frente de raciocínio, de visão de mundo, etc. Ela explica que significou muito poder trazer um livro de espiritualidade como Ideal e Luz de Chiara Lubich, para a editora Brasiliense, que na época contava com seus 60 anos de atividade e não havia ainda publicado um trabalho nesta linha.


Ela comenta: “A Editora Brasiliense teve o prazer e a grande honra de publicar o livro de Chiara Lubich, Ideal e Luz, desta edição fizemos alguns livros especiais, filetados a ouro e eu tive a graça de entregar em mãos para Chiara Lubich, em Castelgandolfo. E isto foi o maior presente que eu poderia ter recebido após a publicação desta obra. Foi uma festa muito bonita a publicação do livro; pudemos divulgar esta mensagem a muitos cantos no Brasil”.



Frei Hans, amigo de longa data e colaborador incansável do Movimento dos Focolares e Fundador da Fazenda da Esperança dizia: "É uma grande alegria estar aqui nesta noite tão significativa! Lembro muito bem quando cheguei aqui, estou há mais de 50 anos no Brasil. Estava tudo no início, mas era bonito. A gente sentia que era algo grande, Deus queria este Centro. Ginetta, Volo...tantas lembranças... quando entrei aqui eu disse para o Nelson: Aqui tem a raiz da nossa história. Aqui neste ambiente, com Jesus no meio, pôde nascer também mais tarde a Fazenda da Esperança, que tem como base São Francisco e Chiara Lubich. Estou muito contente por reencontrar tantos amigos, para celebrar esta grande festa".


Gina, viúva de Antônio Carlos Caldas, também recebeu a homenagem feita ao casal pelas inúmeras atividades em prol do desenvolvimento da Mariápolis e particularmente o trabalho de pavimentação.


Gina nos conta: "Viemos para cá a pedido do Bispo de Piracicaba Dom Aníger Melillo. Quando fomos morar em Piracicaba conhecemos muitas pessoas. No ano de 1974 viemos para um encontro aqui na Mariápolis. Era dia 12 de outubro e quem nos contou a história do Ideal (do Movimento dos Focolares) foi a Socorro, pois Ginetta estava na Itália naquele mês. O Caldas se encantou, pois, o sonho dele era construir uma cidade onde toda a família morasse e pudesse crescer. Quando ele encontrou Ginettta disse: "Meu sonho está realizado aqui". Ginetta nos acolheu, nos contou como tudo começou, disse que podíamos ficar aqui e colaborar na construção desta cidade. Então foram nascendo muitas coisas, entre elas a pavimentação da Mariápolis. O significado desta noite é que o Caldas deu a vida pela Mariápolis...cada pedaço daqui tem um pedaço nosso. Devo a Ginetta e a Chiara, eterna gratidão"!


Miriam Reichert, arquiteta, grande colaboradora dos projetos arquitetônicos da Mariápolis, particularmente da Igreja de Jesus Eucaristia dizia: “Se eu tivesse que resumir em poucas palavras o que foi trabalhar na Mariápolis, na Igreja diria que foi um trabalhar diferente ou digamos, com um passo além daquilo que eu tinha aprendido como profissional de arquitetura. É um trabalhar não com a minha individualidade, ou só com o meu pensamento, mas com o pensamento coletivo. À medida que eu acolhia o que os outros colegas falavam, íamos criando uma ideia “nossa”. Esta obra de um pensamento coletivo, mostrou aspectos que nenhum de nós poderia ter pensado individualmente. Isto criou relacionamentos que duram até hoje e procuro repetir esta experiência em cada projeto que faço”.


Hugo Saporito Lo Schiavo - recebeu a homenagem feita a seu saudoso pai e grande colaborador da Espiga Dourada e do Movimento dos Focolares: Francesco Paulo Lo Schiavo, e comentava: "É um prazer estar um pouco com vocês, tendo na memória o primeiro jantar alguns anos atrás. Foi um prazer participar de toda a história, de todo o crescimento aqui da Mariápolis".


Mais de 100 pessoas compuseram as equipes de trabalho do Jantar Italiano


Aline Souza, que recebeu a homenagem feita à sua saudosa mãe Aparecida Donizetti do Carmo Borba, dizia: "Esta noite significa para mim e para a minha família, todo o carinho que a gente sempre recebeu da Mariápolis, de toda a comunidade. Todo o carinho que sempre tiveram para com a minha mãe, para com toda a minha família e que hoje se personificou mais uma vez. Obrigada"!


Caetano Carmignani, empresário de Piracicaba, também foi homenageado, mas estando em viagem teve a homenagem recebida por Carlos Brasil.


No dia 05/11, o Jantar Italiano contou com a participação da Vice-consulesa (Consulado Geral em São Paulo) Lívia Satullo que também se sentiu “em casa”, pela tradição e culinária italiana características de seu país, mas mais do que isto, pela receptividade e interação fraterna entre todos; o que lhe serviu de alento e incentivo para o seu trabalho no Brasil.


Agradecemos pela proximidade e participação do Prefeito Josué Ramos e sua esposa Soeli, que também prestigiaram o evento no Domingo 06/11.



Imenso obrigado a todos!!


Por: Comunicação Mariápolis Ginetta

11 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo